Programa

 

Parte I | A análise económica das instituições

 

1. Instituições: o que são e para que servem?

1.1. Instituições: o que são?

1.2. As funções das instituições

2. Um quadro teórico para o estudo das instituições

2.1. Direitos, contratos e custos de transacção

2.2. Problemas de informação, agência e confiança

2.3. A análise institucional comparada

2.4.. A evolução das instituições

 

Parte II | Administração pública, grupos de interesse e instituições democráticas

 

3. As instituições da administração pública

3.0. Três níveis de análise: macro, meso e micro

3.1. A administração pública ideal

3.2. Elementos para estudo de caso na administração

3.3. A administração pública em Portugal: breve excursão

4. Teorias dos grupos de interesse

4.1. Clarificações conceptuais

4.2. Interesses e poder político: abordagens optimistas

4.3. Interesses e poder político: cepticismo e crítica

4.4. Grupos de Interesse, Políticas Públicas e Desenvolvimento

5. Interesses, regulação e processo político

5.1. A regulação e o interesse público

5.2. A regulação e interesses privados

6. Instituições da democracia representativa

6.1. Democracia, partidos políticos e custos de transacção.

6.2. Democracia: competição ou deliberação?

6.3. As dimensões do sistema eleitoral (SE)

6.4. O desenho e evolução do sistema eleitoral

 

Parte III | Instituições e Desenvolvimento Económico

 

7. Instituições e desenvolvimento económico: perspectivas teóricas

7.1. A importância das instituições para explicar o desenvolvimento desigual dos países

7.2. A Nova Economia Institucional e a importância da estrutura institucional

7.3. A Nova Economia do Desenvolvimento: informação imperfeita, instituições e desenvolvimento económico

7.4. Institucionalismo e estruturalismo: um encontro nas reinterpretações da industrialização tardia

8. Mudança institucional e desenvolvimento económico

8.1. Inovações institucionais, expansão económica e desenvolvimento

8.2. Causas que explicam o fracasso na construção das instituições que favorecem o desenvolvimento económico

8.3. A evolução e o bloqueio das instituições.

9. Instituições e desenvolvimento: o problema da mudança institucional

9.1. Os limites da transferência de instituições

9.2. A importância da incrustação (embeddedness) das instituições

9.3. A governação do sistema institucional

--//--

 

BIBLIOGRAFIA

 

.: Pereira, P. T. (2008) O prisioneiro, o amante e as sereias: instituições económicas, políticas e democracia. Editora Almedina, Coimbra

.: North, D. (1990), Institutions, Institutional Change and Economic Performance. Cambridge U.P, New York.

 

OUTRA

 

.: Eggertson, T. (1990) “Property rights, agency and economic organization” in Economic Behavior and Institutions, Property rights, agency and economic organization”, Cambridge, Cambridge University Press.

.: Jütting, J. (2003) Institutions and Development: a critical Review, Working Paper nº 210, OECD Development Center, Paris.

.: Kasper and Streit, “Definitions: Economics, Institutions, Order and Policy”

.: Ménard, C. E Shirley, M. (eds.) (2005), Handbook of New Institucional Economics, Dordrecht, Springer

.: Olson, M. (1982) The Rise and Decline of Nations, Yale University Press, New Haven, cap. 2 e cap 3 , pg. 17-35 “The Logic”

.: Onis, Zyia (1991). “The Logic of the Developmental State”. Comparative Politics, 24, Nº 1: 109-26.

.: Ostrom, E. e Ahn, T.K. (2003) Foundations of Social Capital, Cheltenham, Edward Elgar

.: Pereira, P. T. (2007) “A economia, a política e as finanças da descentralização”, mimeo.

.: Stiglitz, Joseph (1986). “The New Development Economics”. World Development, Vol. 14, Nº 2: 257-265.

.: World Bank (2002) World Development Report 2002: Bulding Instituions for Markets, Washington DC, Oxford university Press